sábado, fevereiro 18, 2012

Papel de seda

Amor meu,
serei eu nesta cama
como delicado papel de seda
sobre sua escrivaninha.
Será meu poeta nesta hora...
Irá transpor em mim teus mais doces versos
Aqueles mais secretos serão aqui libertos.
Preencherá meu vazio com teus anseios,
Me resplandecerá com teu fulgor!
Assinará teu nome,
ficaremos para sempre marcados.
Todos os dias me pegará com suavidade
e irá me reler...
E a cada dia terá certeza de que
eu fui teu melhor poema!

L.Primo

Um comentário: